ENCONTRANDO A LUZ DO AMOR ATRAVÉS DOS CONFLITOS FAMILIARES…

familia-tarsila-do-amaral-1925

Compreendendo as relações familiares

Mãe Maria-Chama Trina_Cláudio Gianfardoni

Mãe Maria

Canalizado por: Thiago Strapasson e Michelinha OM

 

Que as bênçãos do amor tragam paz aos seus corpos, mentes e corações.

Amados filhos, hoje trago a vocês a mensagem da humildade e da simplicidade como exemplo a ser observado nas manifestações de amor em volta de vocês diariamente.

Observem por breve instante em volta de vocês, todas as manifestações de entrega abnegada a serviço da sua paz e do seu equilíbrio.

Àqueles que são agraciados com a companhia de animais de estimação em seus lares, observem o amor que esses animais dedicam a vocês de forma a trazer o exemplo da simplicidade e da humildade, simplesmente estando presentes para os dedicarem o amor que vocês buscam dentro de vocês mesmos.

E aos filhos que possuem crianças em seus lares, que possuem outras pessoas em convívio, observem de forma atenta, meus filhos, o amor que esses também enviam a vocês diariamente, estando presentes em suas vidas, mostrando tantas lições para que vocês observem a si mesmos e sejam levados cada vez mais a se transformarem em pessoas melhores, mais compassivas e mais compreensivas.

Venho aqui lembrar a vocês de que estão rodeados de manifestações de amor e paz, de oportunidades de olhar para vocês mesmos através dessas relações, que trazem a vocês os exemplos de dedicação e inspiração para que possam ver em todas essas companhias, aquilo que falta em vocês, filhos.

A energia do amor está presente em todas as relações. Vocês não conseguem observar com os olhos físicos, amados, mas sentem os impulsos emocionais que são os avisos de que o coração está sendo tocado a despertar o chamado para o amor.

Nas relações que trazem aprendizados, lições e também lágrimas de superação de seus aspectos inferiores, todas estão presentes nas vidas de vocês para abrirem os seus corações à conexão com o amor.

É através das relações mais próximas que vocês são chamados a olhar para aquele Eu que vocês tentam esconder, dentro das aparências aceitas pela sociedade, filhos.

Eu, como mãe de Jesus, estive inserida nessa experiência, a observar a transformação de meu filho, que desde pequeno fora chamado pelas pessoas de nosso convívio de O Messias, daquele que veio para despertar a humanidade, para salvar a humanidade. Mas filhos, ele ainda estava fechado à essa realidade no coraçãozinho dele. Mas os chamados estavam presentes na vida dele, como repetições incessantes aos ouvidos dele já cansados de ouvir. Ele ainda não estava pronto para essa verdade, e assim saiu em busca de estabelecer outras relações, que acabaram por mostrá-lo o verdadeiro caminho a que veio a esse planeta.

Mas filhos, aquelas relações familiares mais próximas, dos irmãos, do pai e da mãe dentro do lar, estão sempre presentes para nos mostrar os aspectos que devemos superar, os quais muitas vezes ainda não estamos prontos a olhar. Mas que, depois da caminhada pela vida, retornamos para então podermos absorver aquele ensinamento, e então olharmos para dentro de nós a superar os últimos aspectos que nos prendem à vida de sofrimento.

Ao retornar ao lar, após a experiência no deserto, meu amado filho já era outro em personalidade, em atitudes e relacionamento com os irmãos no lar. A experiência que teve ao retornar de sua caminhada em busca do encontro com ele mesmo, foi transformadora na sua vida. Mas ainda era necessário algum período de convívio no lar, no berço da sua essência na vida material, e foi onde teve a oportunidade de ouvir essa mãe que tanto tentava falar-lhe ao coração. Foi quando ouviu os irmãos. Foi quando transmutou todas as relações familiares estabelecidas na matéria, para então seguir ao que foi destinado naquela encarnação. Foi onde encontrou forças e transmutou os aspectos que o mantinham preso ao velho Eu. E então saiu em sua jornada levando a palavra de Deus e a Verdade para todos em sua caminhada.

As relações dentro do lar, com os animais, com as pessoas, quando observadas com gratidão, com o sentimento de despertar do coração aberto a absorver todo esse amor, são simplesmente maravilhosas fontes de luz e aprendizado, que estão sempre presentes a nos dar o suporte necessário na nossa caminhada, mas que, para conseguirmos realmente absorver todo o amor contido nessas formas de energia presentes em nossas vidas, devemos abrir o chamado do coração, devemos estar despertos e com o sentimento de simplicidade, humildade e gratidão dentro de nós, a brotar para se tornar aquele novo ser que, com muita atenção, observará a absorverá a energia amorosa dessas relações.

É através das experiências que obtemos na caminhada pela vida, filhos, que estaremos preparados a observar, a sentir e a agradecer pelas nossas relações do lar, a sentir as energias benéficas que surgem desses aprendizados do lar e da transmutação dessas relações, do olhar às diferenças e do trabalho para que essas sejam aceitas com muito amor, transmutando aqueles aspectos que ainda restam dentro de nós após tantos aprendizados pela vida.

Eu os digo que de todas as relações que vivenciamos no berço familiar estão os indícios a nossa superação, aqueles aspectos que trouxemos com a missão de transmutar, de nos elevar em amor.

Pois o momento, filhos amados, é de transcender as relações familiares que por tanto tempo os mantiveram presos ao ciclo de encarnações. Relações essas que foram trazidas a vocês justamente para que pudessem aprender mutuamente como ter um olhar compassivo a partir de tudo aquilo que os restringia.

Eu sei meus filhos, que na família há muito amor, há muito carinho, mas há também muitos vínculos enérgicos que nos prendem a antigos hábitos, que nos colocam no círculo de restrição da matéria. Pois é no círculo familiar que estão os principais aspectos de nossa própria superação. Ali, apesar do amor que existe, estão os pontos que justamente nos prendem ao círculo de vidas.

O que necessitamos fazer é nos superar nesse círculo, transcender, para que possamos ao final nos encontrar livres de todo e qualquer aspecto que esteja vinculado a nossa memória cósmica e de vidas passadas. Superando as lições que nos impõe o círculo familiar estaremos a transcender os aspectos que nos vinculam à matéria e à antiga grade de sofrimento.

Cada encarnação, cada vida, é cuidadosamente planejada para que possa nos trazer um pouco mais de nossa própria restrição. Porque quando vieram a esse mundo vocês se estudaram, se analisaram, e concluíram justamente os pontos, os vínculos que necessitavam romper para se libertar da roda de vidas e vidas.

E na família, justamente, foi onde decidiram agregar um pouco mais dessa energia que necessitam superar em vocês mesmos, dos vícios interiores, para que justamente eles se sobressaiam, se ressaltem, e então todos possam conjuntamente se ajudar a superar aquilo que já era uma restrição interior, mas que agora necessita ser trabalhado para a liberação.

Atentem-se, filhos, aos costumes, as maiores restrições que afligem seu círculo familiar, pois ali terão um indício daquilo que precisam transcender dentro de vocês mesmos. Por isso, meus filhos, a compaixão, a paciência, o amor é tão exigido dentro da família de nascimento ou de criação, pois ali há espelhos a refletir seus próprios vícios interiores.

No âmbito familiar, amados, há, além do amor, tantas disputas entre os membros porque ali há justamente os irmãos que são capazes de tocar no nosso ponto mais profundo de dor, naquilo que nos recusamos a olhar dentro de nós mesmos. Há espelhos a nos apontar, são os mestres de nossa vida que, por isso, precisamos ancorar o entendimento, a compaixão, o olhar amoroso tão necessários, amados.

Foi, por isso, então, que meu filho Jesus voltou ao Lar após a peregrinação no deserto, pois ele veio se buscar, observar onde estava suas maiores dificuldades interiores. Mas teve humildade de o fazer com simplicidade, com compaixão, reconhecendo que as dores e dificuldade que vivenciava eram suas e não de seus irmãos. E nesse olhar ele se libertou para seguir seu caminho purificado, liberto de suas próprias restrições.

Ancorem esse exemplo, meus amados, e sempre que retornarem ao seu lar familiar, aproveitam a oportunidade de buscar suas aflições, seus medos, suas dores, mas, acima de tudo, busquem o amor, a compaixão, sempre conscientes que todo desafio, toda disputa, jamais é externa, mas sempre será interior no sentido de encontrarmos nossa própria libertação.

Estejam em paz, filhos, sou sua Mãe Maria e derramo sobre vós as minhas bênçãos de mãe amorosa estendendo o meu manto de proteção a iluminar os vossos caminhos.

Sou Maria sua Mãe

 


Canais: Thiago Strapasson e Michelinha OM – 18 de fevereiro de 2017
Fonte: http://coracaoavatar.blog.br/ e http://verdadetransmutadora.blogspot.com.br/

Via: Verdade Transmutadora: Compreendendo as relações familiares – Mãe Maria

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s