SOBRE O MESTRE SAINT GERMAIN, CHOHAN DO RAIO VIOLETA…

 

Mestre Saint Germain

19 DE MARÇO — DIA DE SÃO JOSÉ

São José

Por: Carmen Balhestero

 

São José, O Carpinteiro, como era conhecido, era descendente de David e esposo de Maria, a mãe de Jesus. Ele passou toda a sua vida em Nazaré, e morreu quando Jesus tinha 14 anos de idade e Maria, 28. No ano 8 a. C. celebrou-se as bodas de José e Maria, que, na época tinha 13 anos de idade.

Quando o Arcanjo Gabriel, em uma visão, anunciou a Maria a concepção “não humana” de seu primogênito, José, durante muito tempo, não entendeu como uma criança nascida de uma família humana poderia ter um destino divino.

O que ele não sabia, ou melhor, não se lembrava, é que Jesus chegaria ao mundo com a mais alta Consciência Crística (essência da Consciência de Lorde Maitreya, o Cristo Cósmico) e, para nascer em corpo físico, necessitava de toda magnitude de mãe e pai.

Assim, o Plano Espiritual escolheu Maria como mãe, cuja divindade não era do reino hominal, mas sim do reino angélico, e, para pai, designou José, essênio por convicção e espírito de muita luz, que encarnou na Terra vindo de uma partícula da essência divina do Mestre Saint Germain. E foi assim que a família formada por Jesus, Maria e José, na realidade uma família cósmica, ficou conhecida como a “Família Sagrada”, e São José, como o “Padroeiro da Família”.

SOBRE O MESTRE SAINT GERMAIN

Sua origem verdadeira é desconhecida. Ele apareceu nos séculos XVIII e XIX em Milão, Gênova, Veneza, Paris, Londres, São Petesburgo, como também na Índia, China, África e Rússia.

Usava entre outros, o título de Príncipe Leopoldo Jorge Rakoczi, porém só o usou quando não mais existia ninguém da família. Filho do último soberano da Transilvânia, o Príncipe Franz Leopold, e da Princesa Carlota Amélia, apenas com 4 anos de idade é enviado a Florença, sob a tutela e proteção dos Médicis, devido à perseguição de Carlos XI. Já na França, amigo de Luiz XV, desfrutava da amizade e confiança do Rei, frequentando habitualmente a corte.

Talvez tenha sido um dos maiores filósofos que já tenha existido, sempre muito preocupado com o rumo da humanidade. Amigo dos animais, não comia carne e nem bebia vinho. Muito elegante, apesar de vestir-se com simplicidade, desejava apenas o dinheiro que pudesse distribuir aos pobres, porém a sua extravagância máxima eram os melhores brilhantes que carregava em sua caixa de tabaco, no relógio e nas fivelas.

Alquimista, místico, químico, físico, falava inglês, francês, alemão, espanhol e português sem sotaque, além de outros idiomas, inclusive línguas mortas. Além de tocar canções populares e concertos com vários instrumentos musicais com excelência, de preferência violino, compunha peças musicais (algumas peças de 1745 e 1760 estão no Museu Britânico) e pintava maravilhosamente bem, mas o que tornava suas pinturas a óleo notáveis eram as cores e os brilhos, cuja técnica ele mantinha segredo.

Com muita habilidade, podia repetir peças filosóficas inteiras, depois de as ter ouvido apenas uma vez, e também escrevia simultaneamente com as duas mãos em folhas separadas sem que se pudesse distinguir uma da outra.

Os grandes Mestres Ascensionados não chegam a reencarnar por completo. Emprestam parte de sua essência a várias emanações de vida, vivendo inclusive na mesma época. Veem com seu corpo de Luz, executando conscientemente suas obras. Mestre Saint Germain, antes de ascensionar encarnou não só como São José, mas por diversas vezes na Terra.

Ele foi:

Sacerdote das Chamas nos Templos da Atlântida — As Chamas eram conhecidas, invocadas e utilizadas apenas pelos Sacerdotes, e todas as curas eram realizadas pela Chama Violeta.

Profeta Samuel — Juiz das Doze Tribos de Israel.

Albano (século IV) — Considerado o primeiro mártir das Ilhas Britânicas; até hoje, na Inglaterra, comemora-se, em 17 de junho, o dia de Santo Albano.

Proclus (século V) — Filósofo grego neoplatonista, diz-se que Proclus recebeu ensinamentos diretos da Deusa Minerva para reforçar a ideia do Todo-Uno e que foi o primeiro a falar em ecumenismo.

Merlin (século VI) — Sacerdote, mago, vidente, amigo e conselheiro do Rei Arthur, da Távola Redonda. Conta a lenda que era filho de uma bela fada e do herdeiro do trono, cujo rosto nunca viu, em uma trama angélica para gerar um ser iluminado. Foi cúmplice de Morgana, a fada, para introduzir a energia feminina no império.

Roger Bacon (1222-1292) — Filósofo inglês e grande estudioso de ciências naturais, matemática e idiomas clássicos. Naquela época, dedicar-se às ciências era aproximar-se da alquimia, da magia, por isso seus escritos foram proibidos. Roger Bacon produziu uma enciclopédia com todos os conhecimentos contemporâneos e futuros, e o Papa Clemente VI, seu amigo, interessou-se pela obra e incentivou-o a criar outras ainda mais arrojadas. Porém, quando o Clemente VI faleceu, suas obras voltaram a ser proibidas e ele foi preso durante 14 anos pelos franciscanos, ordem da qual fazia parte. Roger Bacon anteviu a importância das lentes convexas para o microscópio e o telescópio, predisse as várias consequências do uso da pólvora, os navios de propulsão mecânica e a possibilidade de se por em voo engenhos mais pesados que o ar. Tratou também de problemas de uma viagem de circum-navegação.

Cristóvão Colombo (1451-1506) — Navegador genovês, que, quando descobriu a América, tinha apenas alguma prática com navios negreiros, mas muita intuição. Foi uma viagem difícil, com caravelas deficientes e 90 marujos de antecedentes duvidosos. Sabe-se que ele foi amplamente influenciado pelas obras de Roger Bacon.

Leonardo da Vinci (1452-1514) — Pintor, escultor, engenheiro, arquiteto, cientista e inventor italiano, foi considerado “O Mensageiro da Luz”, em razão de suas pinturas espelharem dimensão e profundidade próprias de uma mente superior dentro do rol Revista da PAX de gênios a que fazia parte. Tão dotado para a investigação científica quanto para as artes, tão apaixonado pela pesquisa intelectual quanto observador dos fenômenos naturais, seus inúmeros cadernos de desenhos são associados a textos que alternam precisão e força visionária (Larousse).

Francis Bacon (1561-1626) — Filósofo inglês, estadista e ensaísta, aos 23 anos já era membro do Parlamento. Suas obras são de cunho jurídico e filosófico-científico. Delas, a mais conhecida é Ensaios, considerada de grande sabedoria. Seu método de ensino de fenômenos era indutivo. Ele reativou as escolas iniciáticas e foi considerado pioneiro imortal no campo científico. Por todo o seu trabalho era em prol da humanidade, recebeu o título de Visconde de Santo Albano.

William Shakespeare (1564-1616) — O maior dramaturgo e poeta inglês, famoso por sua obra, mas de cuja vida pouco se sabe. Os escassos documentos de sua biografia não merecem muito crédito. Suas obras, porém, falam por si; nelas se transcende a ideia da salvação e da busca da perfeição, o que parece confirmar sua vinculação esotérica, tanto que elas são representadas constantemente, sendo motivo de glória para qualquer ator. Há uma corrente que atribui a autoria das obras de Shakespeare a Francis Bacon, mas nada se pode afirmar. Quem sabe? Na verdade, o que se percebe claramente é a cumplicidade e as “coincidências” entre todas as encarnações e a evolução de Saint Germain até alcançar a Ascensão.

A Ascensão do Mestre Saint Germain ocorreu no ano de 1684, e desde então ele se preparou para tornar-se Chohan (Autoridade Cósmica regente) do Sétimo Raio Cósmico até o ano de 1786, quando recebeu o cargo passado por Mãe Kwain-yin e a responsabilidade da transmissão da poderosa Chama Violeta. Sua dedicação e amor foram tão grandes, que em 1954 foi-lhe confiado o cargo de Diretor Cósmico a reger o Planeta nos próximos 2 mil anos, a Era de Aquarius O Sétimo Raio Cósmico é encarregado de trazer a Liberdade no presente ciclo para o homem, o anjo e o elemental.

É a libertação do espírito, das emoções, do corpo físico, da lei de causa e efeito, ou seja a purificação dos quatro corpos inferiores (físico, mental, emocional e espiritual), a transmutação de todos carmas negativos na preparação da Ascensão de todos os seres. Essa causa maior é representada pelo seu símbolo ou modelo eletrônico, que é a Cruz de Malta, que atrai as irradiações do Fogo Sagrado (Espírito Santo) e ancorado no Planeta Terra para a transmutação de todos carmas negativos da humanidade através da poderosa Chama Violeta, que é uma forte corrente de energia que dissolve as imperfeições, transformando-as em energias qualificadas e recarregadas de luz, amor, compaixão e misericórdia, afastando assim as causas negativas criadas pela mente e pela ação dos homens.

Exercícios rápidos com a Chama Violeta para transmutar qualquer situação:

• Visualize uma plataforma de Luz Violeta sob os seus pés. Respire profundamente várias vezes, sentindo que essa luz penetra lentamente pelas suas pernas, tronco, braços e cabeça e se expande além dos limites do seu corpo.

• Visualize uma espiral de Luz Violeta à sua frente. Essa espiral de luz gira, gira, gira cada vez mais forte em sentido anti-horário. Mentalmente, dê um passo e entre nessa espiral, que rapidamente transmutará suas energias mal qualificadas.

• Concentre-se em seu coração físico. Sinta seu pulsar. Imagine, agora, que o seu coração se transforma em um sol violeta que irradia raios para todos os lados. Permita que o seu sol violeta se expanda, se expanda, se expanda cada vez mais, tornando-se maior que seu corpo físico, e deixe que seus raios penetrem nas pessoas ou nos locais que necessitam de um maior equilíbrio.

• Inspire e expire profundamente várias vezes de olhos fechados. A cada inspiração, imagine que seus olhos vão se preenchendo de Luz Violeta. Então, abra os olhos e irradie essa luz para o local de seu corpo que estiver desarmonizado, para alguém que estiver precisando, para algum local específico ou, simplesmente, para o Planeta Terra.

• Feche os olhos. Inspire e expire com tranquilidade. Abra as suas mãos, com as palmas voltadas para cima, e capte as energias da Chama Violeta vindas da Sétima Esfera de Luz. Assim que sentir que suas mãos captaram as energias, permaneça com a mão esquerda na mesma posição, isto é, captando energia, e, com a mão direita, transmita-a ao local ou à pessoa que estiver precisando dela.

• Em exercícios de captação de energia, é importante lembrar que captamos energia com o lado esquerdo e a doamos com o lado direito.

• Visualize um aposento com a porta fechada. Inspire e expire com tranquilidade. Então, abra a porta e, com os olhos da mente, veja o interior do aposento repleto de Luz Violeta. Entre, caminhe pelo local e depois saia, fechando a porta.

• Ao tomar banho, feche os olhos e imagine que a água é Luz Violeta, e que esta, ao tocar seu corpo, purifica-o interna e externamente.


Fonte: Revista ERA DA LUZ 3Ed.Janeiro/Março/2015

Via: Fraternidade PAX Universal-Online | Sexta, 17 de março de 2017

Anúncios

Um comentário em “SOBRE O MESTRE SAINT GERMAIN, CHOHAN DO RAIO VIOLETA…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s